O sonho de um vestido de noiva

“Toda separação é triste. Ela guarda memória de tempos felizes (ou de tempos que poderiam ter sido felizes...) e nela mora a saudade.”

Rubem Alves

 

Casamento, ainda hoje, é o sonho da maioria das mulheres. Desde criança, sonhamos com o príncipe encantado e nos apaixonamos, pela primeira vez, com o colega do ensino fundamental. O tempo passa e, já na adolescência, criamos as mais variadas expectativas de quem será nosso príncipe encantado.

Em muitos casos, há mais desencantos e desapontamentos do que encantos. Algumas adolescentes sonham com o namorado que agradará a seus pais, outras, um pouco mais rebeldes, escolhem passar um período da vida com aquele rapaz que desapontará seus pais, como forma de protesto. E essa fase da vida é memorável e passa, por melhor ou pior que seja.

Após certa idade, já cansadas de apostar sempre na pessoa errada, de ter tantas lágrimas derramadas em vão, de ter tantos sonhos não realizados, nos tornamos menos exigentes e, aquele projeto de homem perfeito, se torna um rascunho de um homem não tão ruim.

Algumas mulheres se tornam mães ainda bem jovens, algumas se casam e outras não. Mas, muitas, infelizmente, se tornam mães e pais, devido a separações precoces. Assim, com um filho do primeiro relacionamento, e talvez outro de um segundo, o projeto de homem ideal e o sonho do vestido de noiva com o príncipe encantado vão se tornando uma realidade cada vez mais distante.

Mas, para algumas mulheres, a esperança nunca morre e continuam acreditando que um dia esse príncipe chegará, até que, um pouco menos exigentes, encontram “o cara”, porém, grande parte deles vêm como o chocolate Kinder Ovo, com uma pequena surpresinha, e às vezes estragada. São ex mulheres que jamais largarão o novo casal em paz e filhos eternamente rebeldes e alérgicos a madrastas. E o sonho do casamento perfeito se torna um pesadelo.

O tempo, como é de se esperar, continua passando, e os problemas quando muito rotineiros, se tornam hábitos e acabamos nos acostumando a eles. A ex mulher enchendo o saco já não é visto como problema, mas como parte da vida. Os enteados que não te engolem passam a ser dignos de pena, vítimas de alienação parental e você acaba gostando deles, mesmo que a recíproca não seja verdadeira.

Mas chega um dia, que o espelho, seu melhor amigo, te dá de presente de aniversário uma imagem assustadora: rugas advindas de anos e anos de luta por um casamento sofrido; seios caídos que sempre foram colocados em segundo plano para uma futura cirurgia; a pele flácida por falta de cuidados ou por falta de tempo de ser notada; a casa que nunca foi comprada, pois você aceitou um príncipe com uma primeira família, e consequentemente, com despesas dobradas. E seu vestido de noiva, ah! O vestido de noiva, a aliança cravejada de diamantes, a festa com todos os amigos e o buquê...

Assim, infelizmente, é a vida de muitas mulheres. Claro que grande parte delas tem seus príncipes encantados, o casamento perfeito, a casa linda, o vestido de noiva inesquecível... Mas, existem ainda muitas mulheres guerreiras que não abrem mão de seus sonhos, mesmo que com o tempo a vida se torna um pouco mais amarga.

E se a palavra “se” fosse algo alcançável, eu diria que muitas mulheres pensariam: E se... Eu tivesse ficado com aquele primeiro namorado.

E se... eu tivesse ouvido mais meus pais e não me casado tão cedo.

E se... eu tivesse tido forças para largar aquele casamento sem futuro, há uns dez anos atrás, ainda mais jovem, hoje talvez estaria não com um príncipe, pois não tenho mais idade para acreditar em príncipes, mas com um homem que me trouxesse ao menos,  no meu aniversário, uma rosa e quem sabe, sonhando um pouquinho mais, me desse uma aliança, não cravejada de diamantes, mas uma aliança de qualquer metal,  mas apenas com seu nome gravado nela.