Tô me guardando pra quando o carnaval chegar... "Chico Buarque"

Tô me guardando para quando o carnaval chegar”

Por Fernanda Vargas

Existem pessoas que esperam ansiosas pelo carnaval, pois irão reencontrar amigos, divertir-se, namorar ou beijar muito na boca, nesses casos podem ter depois uma grande ressaca física e ou moral; há outras que temem esta data, pois acreditam que até mesmo o ar está contagiado por algo maligno que envolve as pessoas que participam das festas de carnaval, quanto a estas pessoas devemos respeitá-las; temos também aqueles que aproveitam para tirar a diferença e estudar para concursos enquanto seus concorrentes se divertem, a estas devemos aplaudir; e ainda, temos aqueles que aguardam ansiosos para se encontrarem com seus desafetos e lhes dizerem tudo que está entalado na garganta. Você participa de qual destes grupos?

Se participar do último grupo, ou seja, do grupo de pessoas aflitas que não conseguem deixar o passado no seu devido lugar, com certeza estão entre as pessoas que mais sofrem nesta época festiva do ano. Pois não acham justo ver as pessoas que tanto lhe causaram mal dançarem, cantarem e se divertirem no meio da multidão como se nada tivesse acontecido. Porém, o que ocorre é que essas pessoas que “causaram mal a outrem” podem ter causado o mesmo mal ou um mal muito pior a muitas outras pessoas e talvez não esteja nem se recordando do que fizeram ou, se recordarem não estão simplesmente dando a mínima para o que ocorreu, pois são pessoas soberbas, orgulhosas ou para não exagerar podem ser até mesmo sociopatas.

Sociopatas são pessoas que vivem normalmente em sociedade, chegam a ter amigos, mas escolhem vítimas que pagarão por todas as suas frustrações; são pessoas perigosas e que não merecem sequer ser lembradas, perdoadas e muito menos esperar que sintam qualquer tipo de remorso ou compaixão. Por isso, perder uma época festiva apenas porque uma meia dúzia de pessoas em um planeta com mais de sete bilhões de habitantes causou- lhes algum mal, prejudicou-lhes socialmente, moralmente, profissionalmente ou financeiramente, é uma verdadeira loucura e perda de tempo. Os sociopatas não sentem remorsos, não pedem perdão e, se um deles vier a pronunciar esta palavra, perdão, soará totalmente falso.

Tem uma música do incomparável Chico Buarque que se chama “Quando o carnaval chegar”. Esta música traduz em parte o que acabei de citar, ou seja, a vontade de chegar perto dos nossos desafetos e lhes dizer tudo que merecem ouvir:

“Eu tô só vendo, sabendo, sentindo, escutando e não posso falar... Tô me guardando pra quando o carnaval chegar”...

E quem me ofende, humilhando, pisando, pensando que eu vou aturar... Tô me guardando pra quando o carnaval chegar!

E quem me vê apanhando da vida, duvida que eu vá revidar...
Tô me guardando pra quando o carnaval chegar...

 Assim, é muito mais válido viver a nossa vida ao lado daqueles que nos amam e aproveitar esse momento festivo perto destas pessoas seja para comemorar ou descansar. Mas não para encontrar desafetos e, após uma bebida e outra, revidar o caroço de manga que ficou na garganta entalado por meses ou anos. Carnaval é festa, e festa é para saborear a vida que corre em nossas veias, é para brindar as vitórias e rir das derrotas como forma de aprendizagem. É momento para ser feliz, largar os desafetos no passado de uma vez por todas. E para aqueles que querem dar um pulo na carreira é momento de aproveitar para acordar e deitar ao lado de livros, pois somente assim se consegue chegar ao pódio profissional.