Etiqueta no trabalho

No seu dia de 24 horas, você passa normalmente quase 40% do seu tempo no seu local de trabalho. Consideremos que você trabalha 8 horas diárias, sem considerar o seu horário de almoço, isso significa que passa um terço do seu tempo com colegas e chefes no local de trabalho. Imagine! 33% do seu dia com chefes e colegas de trabalho, pois os demais 66% são divididos em descanso, você está dormindo, e o restante é o tempo para fazer tudo que um ser humano precisa: ir às compras, cuidar da casa, do marido ou namorado, estudar, cuidar das crianças, ficar com parentes e amigos. O tempo que se dedica ao trabalho é muito maior que o tempo que se gasta com amigos e parentes.

Isso demonstra que passamos a maior parte das nossas vidas com pessoas que não escolhemos, com pessoas até então estranhas e que somente com a convivência diária é que passaremos a conhecer um pouco de suas vidas. E para que essa relação no trabalho funcione e não gere, além de um desconforto, uma má-qualidade na relação de trabalho, algumas regras básicas de boa convivência devem ser seguidas. E aí, você estaria disposto a utilizá-las e ter um bom clima em seu local de trabalho? Ou prefere deixar o ambiente se poluir por fofocas, intrigas e mal entendidos até você se tornar a bola da vez e ser demitido? Se você escolheu a primeira opção, seguem algumas dicas preciosas:

1 – Nunca misture ambiente profissional com pessoal: Não se sinta na sua casa ou na casa da mamãe, indo com roupas de malhas, que mais parecem roupas para malhação e, por favor, esqueça que existem tênis nessas horas que estiver trabalhando, isso para ambientes mais formais, como consultórios, clínicas, escritórios e recepções de empresas. Se vista conforme a atividade da sua empresa. Se for um escritório médico, use sapatos confortáveis, pois terá que se manter sentando por muitas horas; se é uma clínica ou hospital, seu sapato deverá ser ainda mais confortável para se locomover com frequência e não incomodar os pacientes com aqueles barulhinhos chatos do salto alto; se está em um escritório de advocacia, o salto alto cai muito bem (cuidado com saltos com pregos expostos, o barulho irrita qualquer chefe e colega, além de estragar o piso), não cometa a gafe de chegar de tênis ou rasteirinhas, isso é imperdoável.

2 – Voltando ao item um, o ambiente de trabalho é profissional, se quer namorar, procure alguém que não seja colega de trabalho e muito menos um superior ou chefe. Isso causa fofocas, além de causar a demissão de uma das partes. Salvo raras exceções, que são pessoas que sabem se comportar e separar bem uma coisa da outra, o melhor é evitar.

3 – TIQUES: Ninguém nesse mundo, a não ser aquele que esteja pagando um pecado muito grande, merece um colega com tiques. Como aqueles que batem o lápis ou caneta enquanto falam ao telefone; aqueles que adoram tamborilar com a ponta dos dedos quando está ansioso ou termina uma tarefa; aqueles que ficam fungando, não sei se para mostrar que estão doentes ou que são realmente uns “malas”; e ainda temos aqueles apelidados de “isoladões”, que já chegam com o fone de ouvido e para você avisá-lo que o chefe está precisando dele, deve quase que empurrá-lo da cadeira. Temos também aqueles que durante uma reunião ficam batendo os pés no chão ou chutando a cadeira da frente, quando não chegam a balançar freneticamente uma das pernas, como se estivesse com alguma doença ou tendo alguma convulsão.

4 – Mostrar que está na moda: Iphone 5 ou Galaxy S4: Pelo amor de Deus, você quer  um emprego ou o seguro-desemprego? Portanto, se quer o emprego, deixe seu brinquedinho em casa. Agora se o usa no trabalho apenas como celular, para receber alguma ligação importante, deixe-o no silencioso, o ambiente de trabalho não é uma boate com DJs malucos tocando sons que nada tem a ver com a situação.

5 – Perfumes: Não abusem de perfumes, mas também não cheguem como quem apartou centenas de gados. Ninguém merece!

6 – Fumar no ambiente de trabalho: sem comentários. Se o local não tem fumódromos, esqueça os cigarros em casa e vá incomodar outras pessoas, mas não seus colegas e muito menos seus chefes.

7 – Horas extras: Se realmente precisa terminar um trabalho muito importante e que no dia seguinte não terá tempo para isso, fazer horas extras é admirável, mas ficar mais tempo que o necessário, usando a internet, batendo papo ou postando frases de adolescentes no facebook só para lhe garantir umas horinhas a mais no final do mês, isso demonstra falta de profissionalismo e não vai lhe render promoção alguma nessa vida.

8 – Educação: Existem palavras mágicas que o levam aonde quiser e também que abrem portas que você jamais pensou que abrissem: por favor, por gentileza e muito obrigada(o). Seja o mais educado possível, mas não tente ser um “mala” dando dois toquinhos toda vez que vai à sala do seu chefe, principalmente se precisa ir até lá com frequência diária.

9 – Mesa do escritório ou mesa de salão de beleza? Tudo bem colocar um porta-retratos bem discreto da sua família, mas colocar vasinho de flores, lixa para unhas, esmaltes, tesourinha, gominha para cabelo, porta-canetas e objetos em recipientes com formato de coração ou de sapinho; enfeitar seu monitor com figurinhas? Pelo amor de Deus! A empresa investe em um padrão, chega às vezes a contratar arquitetos ou decoradoras para deixar tudo com a cara da empresa e você vem e acha que pode “embregar” tudo?

10 – CHAVÕES OU CLICHÊS: Esse é o teste para comprovar se seus colegas ou chefes têm problemas cardíacos. Nada pior do mundo que palavras que chamamos de “chavões” ou “clichês”. A pessoa é de pouca leitura, não sabe completar uma frase e começa ou termina sempre com: enfim, podes crer, falou, entendeu, entende?(lembra-se do Pelé), na verdade, com certeza... Essas mesmas palavras chegam a ser repetidas inúmeras vezes em uma única conversa e irrita tanto o ouvinte direto, quando os indiretos. Tente se auto-observar e ir tirando esse hábito horrível da sua vida, antes que prefiram lhe tirar o emprego.

11 - Escadas e elevador, de quem é a vez? Em locais de trabalho em prédios, temos que ficar atentos para regrinhas básicas: no elevador, a preferência é de quem está saindo; depois que o elevador está vazio, quem está de fora entra. E nas escadas, prefiro adotar autoras nacionais de etiquetas e deixar um pouco as americanas de lado; assim vale a regra de que,  ao subir ou ao descer uma escada, o homem sempre segue na frente, com exceção de quando temos uma mulher idosa ou uma colega com um salto agulha que a deixe pelo menos 20 centímetros mais alta. Nesses dois casos, é aconselhável ao homem ir ao lado ou logo atrás, pois caso uma delas de desiquilibre, o homem poderá ajudá-las.

12 – 15 minutos para lanche ou para bater papo e entregar de bandeja todos os detalhes da sua vida pessoal? Vamos lá amigos, o lanche é uma pausa obrigatória para descanso, tem empresas que dão algum café acompanhado de pães doces ou salgados e outras deixam os funcionários livres para comerem o que quiser. É um momento de descontração realmente, mas não um muro de lamentações para se contar tudo da sua vida, se levou um par de “chifres”, se engravidou e nem sabe de quem, se o chefe ou colega lhe deu uma cantada e por aí vai. Toda discrição no local de trabalho é pouco; ali estamos com pessoas que, na maioria das vezes, não conhecíamos, não são como nossos amigos de infância, que sabemos o nome dos pais, dos irmãos e até mesmo dos avós. São pessoas que estão em nossas vidas de forma passageira e, conforme for o tamanho da nossa boca, vão levar segredos das nossas vidas. Como diz o velho ditado “Em boca fechada não entra mosca”!